Warsaw 5 ºC
Contate-nos
Costumes e tradições pascoalinas na Polônia

A Páscoa polonesa é uma festa cheia de tradições e costumes singulares. Todos eles são muito coloridos e acompanhados de vários ritos, trazendo muita alegria aos dias festivos.

A Páscoa é a festa cristã mais importante e mais antiga, estando relacionada com várias tradições que remontam até ao século XIV. Antigamente, após o período da Quaresma que era restritamente seguida, a gente inquieta esperava por algo novo. A Quaresma é importante também devido à sua dimensão espiritual. É a época durante a qual a natureza renasce.

Algumas tradições foram esquecidas ou são apenas parcialmente comemoradas em algumas partes da Polônia. Mas há também muitas tradições que não caíram no esquecimento e continuam sendo comemoradas até hoje. Graças a elas os dias festivos são mais alegres. Quais são os costumes pascoalinos comemorados no Polônia?!

Entre os mais populares ficam a bendição de alimentos, o pequeno-almoço consumido junto dos familiares ou śmigus dyngus, ou seja, o costume de atirar água contra outras pessoas.

Semana Santa e ramos que trazem felicidade

Wielkanoc540.jpg

A Semana Santa começa no Domingo de Ramos. Nesse dia nas igrejas polonesas são benzidas as palmas e os ramos feitos de flores e plantas silvestres. O ramo tradicional é feito de galhos de salgueiro que de acordo com a tradição é símbolo de uma alma imortal. Hoje em dia os ramos pascoalinos são decorados com flores secos, ervas ou penas de várias cores. A benção do ramo é uma bonita tradição seguida para proteger os habitantes de uma dada casa contra azar.

As comemorações mais solenes e coloridas do Domingo de Ramos se realizam na região de Kurpie, em Myszyniec, Kadzidło, Lipiniki e Łyse. Esta última aldeia merece um destaque especial. Foi ali onde em 1969 se realizou o primeiro concurso dos Ramos de Páscoa nestas terras. A partir daquela altura mais de 4 mil ramos participaram no concurso. Supodo que o comprimento médio de um ramo admitido para o concurso era de 5 metros, o comprimento total de todos supera significativamente 20 km! Os ramos são execionalmente grossos, tendo inúmeras decorações. Os fazendeiros locais (e por vezes as famílias todas) já em fevereiro começam a preparar as flores para decorar os ramos. Os métodos tradicionais de decoração de ramos como das flores de papel requintadas em muitas famílias passam de geração em geração.

O núcleo do ramo pascoalino de Łyse é habitualmente feito de uma vara de aveleira ou pinheiro, que é seguidamente decorada com diversas plantas silvestres: buxo, junípero, teixo. As varas de pinheiro são feitas de árvores jovens, deixando-se um ramo no topo. Esta parte do ramo é decorada com uma riqueza especial com flores coloridas e bonitas ou com fitas em papel.

O Domingo de Ramos em Łyse é um dos espetáculos populares mais coloridos de todos. Os ramos de alguns metros de altura carregados por habitantes da região vestindo uma roupa colorida tradicional, é uma imagem que fica na memória por muito tempo. É por isso que é necessário levar uma máquina fotográfica para participar nestas celebrações.

Cesta com alimentos benzidos

O Sábado de Páscoa é o dia de espera pelo Renascimento de Jesus Cristo. É neste dia que as famílias inteiras vão às igrejas com cestas decoradas para bendizer alimentos que serão comidos no dia seguinte, ou seja, no Domingo de Páscoa. Atualmente no Sábado de Páscoa não só são benzidos os alimentos, mas também água, fogo e espinhas. Dentro das cestas decoradas com buxo devem ficar:

- um cordeiro - símbolo de Jesus ressuscitado,

- ovos - símbolo de uma nova vida,

-pão - símbolo do corpo de Jesus Cristo, prosperidade e sorte,

-raiz-forte - símbolo da paixão de Jesus,

-sal - essência da verdade,

-queijo - símbolo de reconciliação do homem e da natureza

-bolo (babka) - símbolo de capacidade

carnes frias - símbolo do final da Quaresma

Zurek.jpg

Domingo da Páscoa

Uma das tradições pascoalinas mais populares e mais solenes é o pequeno-almoço no Domingo de Páscoa. Durante o pequeno-almoço os familiares compartilham ovos cozidos. Segundo manda a tradição pascoalina, durante a festa devem aparecer na mesa todos os alimentos que nos faziam falta durante a Quaresma. Devem ser igualmente servidos todos os alimentos benzidos no dia anterior. Costumam ser consumidos: sopa tradicional (żurek), salsicha branca, patês, carnes assadas e embutidos/ presuntos. A tradição manda preparar dois bolos típicos poloneses, ou seja, a babka e o mazurek.

Veja a receita de żurek

Segunda-feira da Pásca (chamada segunda-feira molhada)

A Segunda-Feira de Páscoa ou śmigus dyngus é sem sombra de dúvida uma das mais populares tradições pascoalinas. Śmigus-dyngus é uma brincadeira que consiste em atirar água com outras pessoas. Neste dia costumava-se atirar água contra meninas jovens. Aquela que ficou chateada ou não ficou molhada ia ficar titia. Era possível evitar ficar molhado (śmigus) pagando um tributo em forma de ovos pintados, doces ou dinheiro. Isto era mesmo o chamado dyngus. Mas hoje em dia śmigus-dyngus difere do seu significado original.

Ovos decorados (pisanki)

Os ovos pintados é mais uma tradição associada à Páscoa polonesa. A pintura dos ovos é certamente uma das tradições pascoalinas mais populares.

As origens dos ovos pintados remontam aos tempos antigos, à Pérsia. Segundo mandava a tradição, os persas antigos costumavam oferecer ovos pintados a vermelho aos seus próximos o que era considerado um gesto de amizade. Os ovos vermelhos terão uma força mágica, simbolizando coração e amor.

Há muitos séculos que os ovos com enfeites bonitos decoram as mesas polonesas durante a Páscoa. Não podem, por isso, faltar na cesta benzida no Sábado de Páscoa. A tradição de pintar os ovos se preservou embora os métodos de coloração e decoração evoluíssem.

O método mais rápido de corar os ovos é imergi-los em água quente na qual foi previamente dissolvido um corante. As cascas podem ter também cores bonitas graças a corantes naturais. O suco de beterraba fresco ligeiramente fermentado dá à casca de ovo diversas tonalidades de rosa e vermelho, o suco de mírtilo cora de roxo, o extrato de cascas secas de cebola deixa o ovo amarelo até castanho, enquanto que a água com adição de cebolinho ou grama fresca deixa o ovo verde.

Se colocamos na casca limpa um padrão de cera derretida e a seguir imergimos o ovo em água com um corante, ficarão corados apenas os fragmentos não cobertos por cera. As partes que ficarem cobertas não mudarão de cor. Após tirar os ovos da água, basta esfregar a cera com um pano macio.

As cascas com cores intensas podem ser decoradas com padrões finos. O método é simples: basta riscar diversas decorações com um alfinete ou faca pontiaguda. O padrão que se obtém desta forma é tão subtil que faz lembrar uma renda. É um método para pessoas perseverantes.

Pisanki6_540.jpg

Pisanki8_540.jpg

Pisanki7_540.jpg

Pisanki9_540.jpg