1 BRL = 0.97 PLN

Natal Polonês

Para além da Páscoa, o Natal é a festa religiosa polonesa mais importante e celebrada com a maior solenidade. É uma festa familiar, cheia de tradições bonitas e um ambiente sublime. Suas tradições se formaram durante vários séculos com base em ritos pagãos e religiosos e também tradições populares. De momento o Natal polonês é uma festa familiar, sendo comemorado o mais frequentemente na companhia dos mais próximos.

O Natal é precedido pela época do Advento. Neste período os crentes participam em missas rorate dedicadas à Virgem Maria. A tradição manda fazer pães-de-mel natalinos, enfeites da árvore de Natal e enviar postais com votos de boas festas aos parentes e amigos. Na época do Advento, em 6 de dezembro, é comemorado o dia do Papai Noel em que as crianças recebem presentes enfiados em sapatos ou colocados debaixo de almofadas. Véspera de Natal

As celebrações natalinas começam com a ceia de Natal. A véspera de Natal é a noite mais solene e mais emocionante do ano para a maioria dos poloneses. Se eternizou na tradição polonesa como noite de verdadeira aproximação, de perdão, lição de amor e confraternização. De acordo com a tradição polonesa, o sinal para iniciar a ceia de Natal é o aparecimento da primeira estrela no céu. É uma referência simbólica à Estrela de Belém que anunciou o nascimento de Jesus e que segundo a Bíblia foi vista pelos Reis Magos.

O momento mais importante da ceia de Natal é a divisão da hóstia. Este costume refere-se à Última Ceia quando Jesus Cristo dividiu o pão com seus discípulos. Provém de um costume antigo nascido no sul da Europa que consistia na troca de pão não sacrificial entre crentes e sacerdotes. Na Polônia tornou-se um costume singular e único. Está tão estritamente relcionado com a Polônia e tão fortemente enraízado no coração de cada polonês que tem um significado quase mítico. A hóstia é divididia primeiro pelo senhor da casa ou na ausência do mesmo, pelo filho mais velho. A seguir todos os presentes devem dividir suas hóstias e trocar seus pedaços com os outros. Quando todos dividirem a hóstia e trocarem votos, podem sentar-se à mesa e começar a comer.

Na mesa coberta com uma toalha branca debaixo da qual se coloca uma pequena quantidade de feno, deixa-se um prato adicional. Um lugar adicional à mesa se destina a um convidado inesperado ou a um parente ou amigo ausente. Porque ninguém nesse dia deve estar sozinho. O costume de colocar o feno debaixo da toalha remonta aos tempos pagãos estando relacionado com uma antiga festa agrária. Na época cristã faz lembrar o nascimento de Jesus na manjedoura.

Como manda a tradição polonesa, os pratos da ceia de Natal não devem conter carne. Na mesa devem ficar doze pratos, devendo-se provar cada um deles para garantir a felicidade no próximo ano. Os pratos mais tradicionais, conhecidos pela Polônia fora são: sopa de beterraba com bolinhos recheados com couve e cogumelos, carpa frita e em geleia, couve com feijão, couve com cogumelos, pierogi, ou seja, uma espécie de rissol recheado com couve, massa com sementes de papoila, açúcar e mel, assim como uma bebida de frutos secos. Em regiões particulares da Polônia aparecem também na mesa natalina os pratos regionais. Os poloneses costumam colocar na carteira as escamas da carpa comida durante a ceia de Natal como símbolo de prosperidade financeira no ano que vem.

Em antigas casas nobres da Polônia costumavam ser preparados 12 pratos de peixe (além de outros pratos) para comemorar os 12 Apóstolos. De costume uma espécie de peixe era servida em várias formas. Antigamente acreditava-se que na ceia de Natal deviam servir-se todos os frutos do campo, pomar, jardim, floresta e água. Se um deles tivesse sido esquecido, não dava frutos no ano seguinte. O antigo costume mandava também provar todos os pratos, caso contrário os ingredientes do prato não provado iam faltar no ano seguinte.

Cantigas de Natal

Um dos mais bonitos costumes natalinos na Polônia são as cantigas de Natal. Era um costume comum de todas as partes da Polônia (divididas frequentemente por uma história agitada) e de todas as camadas sociais. Há muitos séculos que as cânticas natalinas exprimem muitos traços caraterísticos da alma do povo. Sua parte comum são a alegria, júbilo e felicidade. As cantigas falam sobre o nascimento do Senhor e a sua Mãe. As cantigas mais conhecidas são "Wśród nocnej ciszy”, „Cicha noc" (apesar de não ser polonesa), "Bóg się rodzi", "Lulajże Jezuniu", "Przybieżeli do Betlejem", ou "Oj maluśki, maluśki", "Dzisiaj w Betlejem", "W żłobie leży", "Gdy się Chrystus rodzi" oraz "Jezus Malusieńki". Aqui pode ouvir as cantigas natalinas polonesas:

"Wśród nocnej ciszy”

https://www.youtube.com/watch?v=4PBkYm-Mpqk

 

"Bóg się rodzi"

https://www.youtube.com/watch?v=TmgN1WwzNm4

 

"Lulajże Jezuniu"

https://www.youtube.com/watch?v=mpYjJaLoD-Y

 

"Oj maluśki, maluśki"

https://www.youtube.com/watch?v=OjSmSJ_wgts

 

"Dzisiaj w Betlejem"

https://www.youtube.com/watch?v=lbMg7IQxR-8

 

Missa do Galo

bombki1.jpg

bombki.jpg

A véspera de Natal acaba com uma missa solene celebrada à meia-noite nas igrejas. Segundo a tradição, a mesma comemora a chegada dos pastores a Belém que foram os primeiros a prestar homenagem a Cristo recém-nascido. O dia seguinte à véspera é o Natal (25 de dezembro) e 26 de dezembro é na Polônia o segundo dia do Natal. São normalmente os dias de descanso e de reuniões familiares e cantos comuns.

Árvore de Natal

Decorar a árvore de Natal é uma das tradições natalinas mais recentes. Antes de terem aparecido as bolas, os enfeites mais populares eram nozes e maçãs. De acordo com crenças populares a maçã tinha muita importância - era alimento de falecidos, protegia de doenças e ... ajudava em assuntos amorosos. A noz, por sua vez, estava estritamente relacionada com a vida erótica. Acreditava-se que unia casais e trazia amor. As regras de decoração da árvore de Natal eram bem precisas. Numa hierarquia adequada eram nela penduradas tais doações da natureza como nozes, maçãs, enfeites de ervas ou feitos à mão de papel. Anteriormente as árvores de Natal costumavam ser decoradas com pastéis e pães-de-mel (tendo muitas vezes forma de coração), enfeites preparados à mão durante o Advento em papéis coloridos, penas, cascas de ovos, palha, cálamos, espigas de cereais, etc. Durante a ceia nos ramos das árvores de Natal acendiam-se velas e velas faíscas. Hoje em dia há uma grande liberdade de decoração da árvore de Natal. Ninguém se estranha vendo uma árvore de enfeites extravagantes.

IMG_5268_m.jpg

Bolas decorativas

O Natal é uma altura de oferecer presentes aos próximos. Uma bola decorada à mão será decerto um presente inesquecível, sendo guardada na memória da pessoa que a receber por muito tempo.

A Polônia é famosa pela produção de bolas natalinas pintadas à mão. Podemos estar orgulhosos não só pela tradição de muitos anos neste domínio, mas também por decorações ricas, reconhecidas em várias regiões do mundo. As primeiras bolas destinadas à decoração da árvore de Natal apareceram no nosso país no século XIX, tendo sido feitas de vidro soprado.

As bolas feitas em vidro por artistas experientes são pintadas à mão, sendo portanto únicas e exclusivas. Vale a pena adicionar que a escolha de bolas natalinas é enorme: podemos comprar bolas que representam um estábulo, o Papai Noel, Árvores de Natal com bonita decoração, estrelas de Belém, motivos populares ou em cores de roupa regional, paisagens típicas da Polônia com campos cheios de cereais e papoilas - tudo isso é admirado e inspira também o artesanato atual. As bolas natalinas não são baratas porque não são apenas um enfeite de árvore de Natal ou de mesa festiva. É também mais que um presente ordinário - é uma certa imagem da cultura e tradição polonesas.

Em caso de bolas tudo começa da ideia. Algumas bolas são fundidas em matrizes preparadas para o efeito, outras devem ser formadas à mão: soprando, estendendo e girando cada enfeite. Padrões simples exigem um minuto ou às vezes três minutos de trabalho. E alguns modelos até 20-30 horas de trabalho. Uma vez formadas as bolas, as mesmas são pintadas por artistas e depois embaladas em caixas decorativas. As árvores de Natal foram trazidas para a Polônia por protestantes alemães entre os séculos XVIII e XIX. E como as bolas terminaram nas árvores de Natal? Por causa da pobreza. As primeiras bolas foram produzidas no séc. XIX por um artesão de uma cidade alemã, Lauscha. Hans Greiner era pobre demais para poder pendurar nozes e maçãs na árvore de Natal. E como trabalhava na fábrica de vidro, fez as frutas de vidro que depois pendurou na árvore.

Visite umas lojas online com bolas natalinas polonesas:

www.folkstar.pl

www.bombkarnia.pl

Presépios de Cracóvia

O presépio de Natal é um elemento indissociável da nossa cultura. Com o início de dezembro arrancam os preparativos para construir os presépios mais bonitos em igrejas, escolas ou ruas.

Mas são os presépios de Cracóvia que gozam de importância especial na cultura polonesa. O presépio de Cracóvia é um fenómeno excecional à escala mundial. São verdadeiras obras-primas de artesanato relacionadas com o Natal. Os presépios cracovianos provêm da tradição de presépios estáticos e móveis, apresentados anteriormente em igrejas na época natalina.

Os primeiros presépios foram construídos em meados do século XIX por carpinteiros e pedreiros de Cracóvia e dos seus arredores. Para eles era uma ocupação adicional durante a época de inverno. Durante o Natal costumam ir de casa em casa com seus presépios.

O presépio cracoviano é uma estrutura de rica decoração, feita de materiais leves e perenes. Apresentam miniaturas de monumentos de Cracóvia e personagens relacionadas com Belém. O padrão arquitetônico era sobretudo a Igreja da Nossa Senhora (Mariacki), mas foram igualmente feitas as minitaruas do Castelo de Wawel ou da Sukiennice. Os presépios eram como palcos de teatro popular com fantoches. Suas personagens perteneciam a dois mundos que se entrecruzavam: o bílbico que apresentava o nascimento de Jesus e o mundo leigo. Nos presépios contemporâneos os fantoches foram substituídos por figuras imóveis que representam tanto as personagens históricas como políticos contemporênos, artistas; insiprando-se no folclore e nas lendas cracovianas(em particular na lenda popular do Dragão de Wawel).

A partir de 1937, todos os anos, na primeira quinta-feira de dezembro, se realiza a mostra de presépios nos degraus do monumento a Adam Mickiewicz na Praça de Comércio de Cracóvia e um concurso do presépio mais bonito.

A coleção mais rica dos presépios de Cracóvia encontra-se de momento no Museu Histórico da Cidade de Cracóvia. (http://www.mhk.pl/collection/krakow-nativity-scene)

POT-SZOPKI-1997.jpg

POT-SZOPKI-2018.jpg

POT-SZOPKI-2084.jpg

PLANEJE SUA ROTA

Planeje uma viagem
Quatnas pessoas?
1
Por quanto tempo?
2 dias

Boletim de Notícias